3 de agosto de 2009

Espiritualidade

O que seria a espiritualidade ?  Espiritualidade para o nosso raciocínio é o equilíbrio de nossas forças internas. É um atributo pessoal que nos dá serenidade e força para agirmos no mundo exterior. O homem que cuida de sua espiritualidade é um homem que tem fé. Que acredita no que não vê. Crê naquilo que sua experiência existencial mais seu esforço intelectual lhe permitem confiar.
Bem, partindo dessa definição que imaginei, tentarei algumas colocações pertinentes.
Nós, humanos, conhecemos três princípios energéticos aos quais estamos submetidos durante nossa vida, que são: o físico, o mental e o espiritual. Entendemos também que a substância do princípio físico é a força, que é representada pelos  músculos. Assim, é tão mais forte, quanto musculoso for o homem. Quanto mais vigor físico, mais poder. No começo dos tempos era assim. Essa supremacia muscular representava a supremacia social para os homens primitivos – o chefe era o mais forte. Porém com o passar dos tempos, essa superioridade da força foi confrontada com o pensamento e gradativamente implanta-se o império do princípio mental, do racional. A Esparta bélica defronta-se com a Atenas intelectual. Aqui deparamo-nos com o substrato do princípio mental, que não é outro senão a lógica, o raciocínio correto e coerente. Mas felizmente a evolução continua e mais e mais pessoas estão descobrindo que o importante mesmo é o espírito. A matéria morre, se decompõe, se transforma em pó inerte. Hoje já temos em várias frentes, o reconhecimento do aspecto espiritual. Quanto mais for verdadeiramente evoluído um povo, tanto mais será desenvolvido espiritualmente. É bom lembrar que não estamos falando de religião. Espiritualidade não quer dizer  necessariamente  religiosidade. Cada indivíduo pode ser caracterizado por sua religiosidade, suas crenças particulares e práticas relativas a sua religião, sem no entanto, ter um alto nível de espiritualidade. Espiritualidade é a ascensão do aspecto espiritual sobre o mental e o físico. No entanto grande parte da humanidade ainda não compreende isso. Daí a proliferação de seitas e igrejinhas  aqui e acolá. Basta alguém falar bonito demonstrando um pouco de conhecimento bíblico (leia-se decoreba da bíblia) e já se tem uma turba de seguidores. Ávidos por saciar suas necessidade espirituais, seus anseios por felicidade.
Podemos dizer que esse aspecto, objeto de minhas reflexões, é sustentado pela fé e pela crença inabalável no possível. A um observador sábio, não faltam provas dos resultados positivos do poder da espiritualidade.
Assim, entendemos, que o homem é um ser composto por matéria e espírito. Porém hoje, apesar do avanço científico, do desenvolvimento intelectual, o homem insiste em valorizar mais a matéria em detrimento do espírito. O culto ao corpo sobrepõe ao do espírito. Assistimos hoje uma explosão de cuidados com a  beleza. Preocupação exagerada com o físico, portanto com a matéria. Preocupação que chega ser angustiante. Se a mulher veste uma roupa e a sente apertada já é motivo para se sentir preocupa, é sinal que ganhou uns quilinhos a mais e isso é terrível.
Academias espalham-se pelas cidades. Programas de emagrecimento com acompanhamento científico é a coqueluche nos spas. As pessoas se submetem a variadas torturas. Aplicações de botox, silicone, bronzeamento artificial etc. As candidatas a modelo chegam à beira da anorexia. Criou-se até uma lei proibindo o emagrecimento exagerado nas passarelas. Cirurgias as mais diversas são criadas em nome da beleza, nem sempre em nome da saúde.
Muito bem, e a outra parte? A espiritual. Existe a mesma preocupação com ela?  O que está acontecendo com a nossa espiritualidade?  Você se lembra da última vez que fez um retiro espiritual? Um recolhimento talvez? Uma auto-análise? Uma introspecção que seja?
Sabemos que o nosso espírito precisa disso, mas sabemos também da dificuldade dessa prática no mundo pós-moderno. O homem hoje é bombardeado com um número estratosférico de informações diárias. Isso cria um burburinho tal em sua mente, que inibe, que dificulta uma meditação mais profunda e eficiente. Ao mesmo tempo cria em nosso interior um vazio enorme. E essa vacuidade é responsável pela angústia e pela  depressão. Daí o crescente número de pessoas em busca de auxílio nas clínicas psiquiátricas. O número de profissionais da área psicológica é cada vez maior. Não é sem razão que o consumo de anti-depressivos no Brasil cresceu 42% nos últimos 4 anos.  As pessoas buscam a felicidade em tudo, inclusive, e principalmente no material, se esquecendo que o eterno é o espírito. Assim sendo o que devemos fortalecer é o espírito. A fortuna que devemos acumular é aquela invisível aos olhos. Ela só é percebida pelo sexto sentido. Essa é a riqueza que realmente vai nos fazer feliz. Em não sendo assim iremos entulhar o nosso cofre e esvaziar o nosso coração. E aí o que teremos? Um espírito fraco. E nessas circunstâncias o nosso espírito se encontrará vazio. Com fome. E para fome espiritual, só alimento espiritual. E não há melhor alimento para o espírito do que aquele recomendado pelo próprio Cristo: “Tomai e bebei dele todos, pois isso é o meu sangue...” e “Tomai e comei dele todos, pois isso é a minha carne...”  Evidentemente que aqui carece-se de uma reflexão exegética.
A respeito da riqueza espiritual, cito na íntegra, o que disse Sir John Templeton, um dos homens mais ricos dos Estados Unidos: “Se não desenvolvermos um reservatório de riqueza espiritual, provavelmente não há dinheiro que nos faça feliz. A riqueza espiritual proporcionará a fé, nos dá amor, traz e expande a sabedoria. A riqueza espiritual leva à felicidade porque nos orienta para relacionamentos úteis e afetuosos. Tendo a riqueza espiritual como a base e segurança de nossas vidas, ganhamos uma profunda e duradoura paz que não pode ser obtida apenas com riqueza material”
A dimensão espiritual está implícita na natureza humana e a vivência espiritual comumente é uma experiência subjetiva, individual, particular, mas que algumas vezes pode ser compartilhada com os outros. Isso será explícito, por exemplo, na prática da solidariedade. Oportunidade de exercitarmos a espiritualidade na experiência fraterna.
Ainda bem, que já sentimos no homem contemporâneo uma pontinha de preocupação com o aspecto espiritual. Como já disse, o homem hoje, embora sem saber direito, está a procura de um caminho espiritual. Quem tem o costume de navegar pela internet, já percebeu o sem número de mensagens de cunho espiritualista que nos chegam todos os dias. É a busca de alguma coisa que sacie a sede do espírito. É a necessidade do ser humano de atender o objetivo para o qual foi criado – ser feliz.
Concluindo, devemos nos lembrar que,  o caminho do aperfeiçoamento espiritual não é fácil. Obstáculos mil existem, pois os nossos sentidos nos traem, frente ao chamamento intensivo para o gozo dos benefícios do mundo profano. Mas o sábio consegue fazer a distinção e certamente encontrará a paz.
Quanto a isso nos faz bem lembrar que: se o leito do rio fosse absolutamente liso, sem nenhum obstáculo, jamais ouviríamos a música do borbulhar das águas.

José Moreira Filho
Acadêmico da ALAMI
moreira@baciotti.com

15 comentários:

  1. Amigo,só tenho que pedir desculpas por ontem.Estou muito sem graça.

    ResponderExcluir
  2. Espiritualidade é o nosso racíocinio em equilibrio mental;devemos encarar nossos obstáculos com tudo aquilo que temos ou seja, nossa espiritualidade tanto "mental como fisica"
    Espiritualidade nos proporciona fé, nos traz amor muita sabedoria. É o raciocínio correto e coerente para tomarmos decisões!

    ResponderExcluir
  3. Sir John Templeton, um dos homens mais ricos dos Estados Unidos, disse: “Se não desenvolvermos um reservatório de riqueza espiritual, provavelmente não há dinheiro que nos faça feliz. A riqueza espiritual proporcionará a fé, nos dá amor, traz e expande a sabedoria. A riqueza espiritual leva à felicidade porque nos orienta para relacionamentos úteis e afetuosos. Tendo a riqueza espiritual como a base e segurança de nossas vidas, ganhamos uma profunda e duradoura paz que não pode ser obtida apenas com riqueza material”.

    ResponderExcluir
  4. Da mesma forma que o físico necessita de alimentos, para manter-se saudável, o espírito também necessita dos seus para estar forte.
    A espiritualidade, a busca pelo caminho da Fé, é a razão da felecidade.

    ResponderExcluir
  5. Penso que a nossa carência de riqueza de espiritualidade reside justamente pela falta de solidariedade como afirma o autor. Cabe a cada um de nós procurar a forma que nos identifique e nos incorpore no atingimento da felicidade.

    ResponderExcluir
  6. Sônia Regina Lemos4 de agosto de 2009 05:40

    Espiritualidade é estar em harmonia perfeita com todo o Globo Terrestre. É comunhão com Deus, com a natureza. É sentir a presença do outro. É a necessidade de ser útil aos propósitos para que Deus nos criou. É amar a vida tanto material quanto espiritual. É crescer em espírito para que não nos tornemos anões!

    ResponderExcluir
  7. Ola.
    Sou professora e adorei esse texto....trabalhei com meus alunos e eles adoraram....obrigado por vc existir.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Quem não consegue desenvolver em si a espiritualidade não consegue ser feliz, pois a alma sentirá um vazio enorme!

    ResponderExcluir
  9. Espiritualidade não quer dizer necessariamente religiosidade.
    É o equilíbrio de nossas forças internas. É um atributo pessoal que nos dá serenidade e força para agirmos no mundo exterior.
    Espiritualidade é a ascensão do aspecto espiritual sobre o mental e o físico.

    Palavras do autor

    Adorei entender estas dferença

    ResponderExcluir
  10. Concordo nintegra com o autor do texto. Ele diz uma grande verdade. O que falta poré talvez seja mais exclarecimentos à humanidade. As pessoas ainda confundem espiritualidade com religião.

    ResponderExcluir
  11. CONCORDO PLENAMENTE COM VOCE QUE TODOS NÓS PRECISAMOS DE JESUS.PQUE TENHO UM FILHO QUE É ALCOOLATRA E USA DROGAS .SE EU NÃO ESTIVESSE NOS CAMINHOS DE DEUS NÃO SEI SE TERIA FORÇAS.

    ResponderExcluir
  12. A minha concepção sobre espiritualidade é que o espiritismo é algo fora de comum quem não souber lidar com ele pode até mesmo ficar louco, porque há certos mistérios que são misteriosos, eu digo por mim tento enteder o espiritismo não consig, gostaria de me aprofundar sobre a relação do mesmo em relação às pessoas. Se puderem me mandem a resposta pelo meu imail,
    obrigada.

    ResponderExcluir
  13. émille durkheim e a leitura no cotidiano

    ResponderExcluir
  14. Lindo artigo e gostei da definição de ESPIRITUALIDADE de Sir jonh Templeton,pois é precimante o que penso, mas quando falo sobre esse assunto certas pessoas confundem logo com seita e religiões, o que para mim a ESPIRITUALIDADE TEM A VER COM FILOSOFIA DE VIDA .

    ResponderExcluir