28 de agosto de 2009

O Homem e a Natureza

Desde que o homem apareceu na face da terra, aproximadamente há um milhão de anos, que ele vem tendo com a natureza uma relação direta. Podemos até imaginar uma fórmula simples que nos  mostra pedagogicamente  essa relação. Seria: H < N ;  H = N ;  H > N e  H ? N, onde o H representa o homem e o N a natureza. Pois bem, no início da pré-história, o homem era menor que a natureza, (H < N) ou seja, sofria com as agruras do tempo. O frio o castigava, as tempestades o apavorava e os animais o devorava. Depois o homem  equipara-se a natureza, (H = N). Se identifica com ela e vive em harmonia. Para se livrar das tempestades, abriga-se nas cavernas, para amenizar o frio, faz fogueiras, para se alimentar colhe frutos e já abate animais. Sua preocupação única era sobreviver. Em seguida usando sua inteligência e habilidades passa a dominar a natureza, (H > N). Aí sim, resolve com técnicas e invenções muitos dos problemas que o afligia. Consegue colheitas mais abundantes, supera as dificuldades com as intempéries usando as mais sofisticadas invenções e até encurta as distâncias, perfurando montanhas, construindo navios e aviões. Controla a natureza, inclusive fazendo chover.
Hoje, porém, sabemos que essa relação do homem com a natureza é agressiva, é altamente prejudicial a ela e a nós. O modelo de civilização adotado é altamente danoso ao meio ambiente. Ao procurar facilidades e conforto o homem abre mão de uma vida mais natural, principalmente com relação à alimentação. Ao preferir o automóvel, o homem não caminha. Ao preferir o fast-food, não dá ao seu organismo o tempo e a oportunidade de uma digestão completa e satisfatória. Ao preferir a televisão, nega-se a si mesmo, a opção da reflexão. Da meditação. Hoje, desde a infância, tudo nos chega pronto. A criança não constrói mais seus brinquedos, a comida é encontrada pronta e o pensamento já nos chega ruminado pela telinha. Hoje consideramos, com muita propriedade, o último item da fórmula: H ? N. O homem se encontra perdido diante da natureza. Não sabe o que fazer para, pelo menos, minimizar os efeitos terríveis causados pelas respostas da natureza a séculos de agressões provocadas pelo homem.
No entanto, é sempre bom lembrar, que as ações daníficas do homem contra a natureza, não são frutos de ignorância ou incapacidades. São sim falta de boa vontade, especialmente política, de nossos administradores públicos. Acrescendo-se a isso uma forte dose de ganância, de egoísmo e de falta de urbanismo por parte de muitos capitalistas que, que por “n” razões, tem em suas mãos o destino de fortunas consideráveis no mundo.
Mais uma vez, venho bater na velha tecla, que ao meu ver, é a única opção para a médio prazo, salvar as futuras gerações de uma catástrofe: a educação. Colocarmos na cabeça de nossas crianças que a água, a terra, o ar, as árvores são sinônimo de vida. Que se destruirmos esses elementos, estaremos destruindo a nós mesmos. Ou veremos concretizar as previsões de São João no seu livro canônico – Apocalipse.

José Moreira Filho
Acadêmico da ALAMI
moreira@baciotti.com

5 comentários:

  1. jose marcio moreira parente28 de agosto de 2009 10:10

    No mundo inteiro, alguns governantes, preocupados de fato, com o rumo de destruição que a humanidade está dando à Natureza, já se manifestaram, por exemplo no Tratado de Kioto, que não contou com o apoio dos Estados Unidos, na vigência do Governo Bush. Entretanto, o Governo Obama já sinaliza no sentido de engrossar a fileira dos defensores da Natureza. Sei que é Americano e que a América é um dos países responsáveis por grande parcela da poluição do nosso Planeta, entretanto, se cada um fizer a sua parte e der um mínimo de contribuição, é possível evitar que os idolatradores do dinheiro sejam obrigados a respeitar a natureza, e que para que continuem adorando o dinheiro sejam obrigados a efetuar providencias necessárias à preservação do meio ambiente.
    O Brasil, especialmente, tem se mostrado mundo afora como um dos incentivadores destas atitudes favoráveis à Natureza, mas é necessário que os nossos governantes não fiquem só na retórica, mostrando-se bonzinho diante do mundo, enquanto as indústrias poluem à vontade e os ricos empresários, grileiros, pistoleiros e laranjas de gente impostante derrubam as nossas matas e se escondem por trás de Órgãos governamentais que deixam de fiscalizar, muitas vezes sob as mais estapafúrdias desculpas, outras vezes sob a força da corrupção escancarada mostrada nas nossas emissoras de televisão. O Brasil também precisa participar, mas é necessário que estes governos ao menos apresentem ação, que mostrem algum serviço que esteja sendo feito para preservar a natureza, porque as atitudes dos gananciosos destruidores da natureza, é mostrada constantemente na TV, mas nunca se mostra atitudes do governo contendo estes bandidos. o governo federal nos deve, pelo menos uma ação que possa mostrar que algo está sendo feito em favor da vida e saia da retórica.

    ResponderExcluir
  2. INFELIZMENTE SÓ IREMOS CUIDAR DA NATUREZA,QUANDO COMEÇAR
    MOS A SENTIR A DEVASTAÇÃO QUE JÁ SE INSTALA.QUANDO SENTIRMOS
    FALTA DE SEUS ELEMENTOS VITAIS PARA A NOSSA SOBREVIVÊNCIA.
    É PRECISO ACÃO + CONSCIENTIZAÇÃO + MOBILIZAÇÃO PARA ENFREN
    TARMOS OS PREDADORES E QUESTIONARMOS OS GOVERNOS,PARA IM
    PLANTAÇAO DE POLÍTICAS EFICAZES E CONTÍNUAS.

    ResponderExcluir
  3. a amazonia é o pulmão do mundo a cada 36 anos todo o estoque de oxigenio em nosso planeta é totalmente reconstituido pela nossa amazonia. pergunta e o desmatamento desmantelado como é que fica. muitissimo obrigado baciottl.com

    ResponderExcluir
  4. Parabés, comentários , o homem e a natureza.
    Eu tam bém estou preocupada pela distuição do meio ambeinte, se cada um fizer a sua parte com esforço e coragem recuperamos e rspiramos oxigenio puro. A natureza é o pulmão do mundo.
    Muitissimo obrigado.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns, vc foi bem aventurado os homens precisam entender que a natureza e essencial para a sobrevivencia da humanidade, somente orientando as futuras gerações poderemos amenizar essa situação, educação é o melhor meio de se chegar a uma concientização e evitar desatres ainda maiores!

    ResponderExcluir