4 de novembro de 2009

A decantada democracia

Desde os idos tempos da antiguidade clássica, que romanos e gregos já reverenciavam essa forma de governo que se propõe ser a mais justa e adequada à convivência humana. Porém sabemos que sua história é repleta de incoerências e interpretações eiradas de conveniências.
Etimologicamente esse conceito nos sugere que o povo é quem governa. (Demo + cracia) governo do povo. Sugere também que, com ela, a vontade coletiva ou da maioria está sendo respeitada através da representatividade. Mas hoje, e especificamente no Brasil, são tantas as máscaras que colocam nessa forma de governo, que acabam travestindo-a em faces encantadoras, então aplaudidas pelos menos avisados, mas que na verdade esconde uma realidade cruel sustentando o governo de uma minoria. Onde está a vontade da maioria, por exemplo, quando vemos milhares de pés de laranja serem destruídos pura e simplesmente pela decisão de um grupo que nem identidade social tem? Portanto, juridicamente, nem existe? Essa ação vai despertar realmente a atenção das autoridades para o problema agrário? Por exemplo, a questão da monocultura?  Todos sabemos que existem muitos erros em relação à reforma Agrária, mas algum deles justifica esse?  Onde está a vontade da maioria, quando o Congresso Nacional, composto por nossos representantes legítimos, decide coisas sabidamente polêmicas e que na verdade vem de encontro a vontade popular? Exemplo A PEC 336/2009. Agora mesmo, precisamos acompanhar para ver no que dá, o projeto de iniciativa popular, avalizado por 1,3 milhão de assinaturas e  batizado de “Ficha Limpa”, que impede a candidatura de pessoas com certas pendências judiciais. Muitos dos que vão votar esse projeto, são exatamente os “Fichas Sujas”. E aí? Quem está acostumado a legislar  sempre em causa própria vai agora atender o clamor da massa?
Essa é a nossa democracia. A forma de governo que escolhemos e da qual poderíamos dizer: ruim com ela, pior sem ela. Mas é possível melhorá-la e fazê-la realmente representativa. Justamente com iniciativas como o Projeto de Lei encabeçado pelo (MCCE) Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral formado por 42 entidades. É tomando consciência da nossa força, como cidadão-eleitor, que podemos contribuir para a mudança. Claro que essa conscientização não cai do céu. É preciso buscá-la através da instrução, da leitura, da escola, da igreja, enfim da freqüência a ambientes sadios e da companhia de pessoas dignas.
Fora isso, só nos resta mesmo a constatação de Eça de Queiroz: “Os políticos e as fraldas devem ser mudados constantemente e pela mesma razão”

José Moreira Filho
Acadêmico da ALAMI
moreira@baciotti.com

8 comentários:

  1. Muito boa sua redação. Infelizmente não estou vendo a luz no fim do tunel. Agora mesmo esses politicos querem implantar mais um
    dia comemorativo " O DIA DA CACHAÇA ".

    ResponderExcluir
  2. Sarney no senado? É uma afronta. Lula? já não é mais peixe que possamos comer, está infectado. Detran? Maquina de fazer dinheiro para o governo.
    Saude? Não do póbre, só para eles,
    Segurança?
    Só quando se bate em poste, ficamos seguros ali mesmo!
    Educação? Me vem a memória daquele comercial da Casa Cruz:
    Crianças vestidas de escolar, pulando e gritando...
    " ÓI NÓS AQUI TRAVÊZ" como se repetir de ano fosse " passar de ano".

    ResponderExcluir
  3. Laurinda Soares Delgado4 de novembro de 2009 09:39

    Saudações
    Só tenho a agradece-lo por me deixar compartilhar do seu conhecimento. E mais da sua consciencia, pois a mim muito me estimula e insentiva na busca de estudar para adquirir conhecimento e me aprimorar para contribuir com o nosso Brasil e melhor com o mundo. Mundo esse com pessoas mais consciente, pois não vejo outra forma de melhoria seja a violência social,familiar ou institucional,se não for atraves da conscientização e sem conhecimento não há conscientização.
    Um forte abraço!
    Laurinda

    ResponderExcluir
  4. esse testo fui muito enteressante pra mim , estou fazendo um trab, na escola vou aproveitar e falar um pouco do assunto
    obrigada e parabens..

    ResponderExcluir
  5. MUITO BOM ESSE TEXTO, POR ESSE MOTIVO VOU ESPALHAR; COISAS BOAS DEVEM SER DIVULGADAS.

    ResponderExcluir
  6. BRAVO! BRAVO! BRAVO!
    Meus aplausos, a você!
    Concordo plenamente com suas palavras, e acrescento um comentário feito pela grande atriz Fernanda Montenegro em um programa dominical so Faustão, há alguns anos atrás , mas que me marcou muito: "Enquanto o brasileiro viver de esperanças o Brasil, não irá para a frente!"
    Não basta que tenhamos esperanças para as coisas mudarem, mas temos que fazer a diferença, em nossas comunidades! Conscientizando-nos e aos outros que voto nãoé uma esmola, mas é o ponto de referencia para que uma mudança possa começar a acontecer! Aproveito também para expor minha ideologia, de mudanças para o crescimento democratico do Brasil: Eleições democraticas são aquelas que o eleitor não é obrigado a votar, mas aquela que ele sente necessidade de indicar alguém com responsabilidade e competencia para gerir uma nação tão rica e sofrida como o BRASIL!
    VOTO LIVRE pra mim é isto! Vale lembrar que a meu ver, uma aleição deste porte teria que ser mais ou menos assim:
    O candidato seria eleito com a preferencia de 50% dos eleitores mais um voto .
    O que obrigaria aos candidatos e aos partidos a convencerem o eleitor a IR votar, e depois a votarem nele!
    Assim seria uma eleição democratica!

    ResponderExcluir
  7. muito interessante!é isso q o povo prescisa saber..os políticos e as frandas devem ser mudados sempre...é sempre um meio de aprender coisas de brasil!!! parabens pelo texto

    ResponderExcluir
  8. é Amigo! infelizmente enquanto o homem ser lobo do próprio homem continuaremos vivendo num sistema social engessado, longe de despertar a consciência das pessoas, pois os interesses são muitos, e tenho pudor em comenta-los, vale a pena viver e se entregar ao Bem, tendo a certeza de que ao lado do livre-arbitrio esta tbm a lei de causa e efeito, ao qual ninguém se furtará, cedo ou tarde, nesta ou em outra, colheremos e sentiremos o gosto de nosso próprio fruto, e que possamos fazer o nosso melhor, para saborearmos um fruto doce.

    Abraços!

    ResponderExcluir